Uma praça orgânica

As praças são espaços repletos de significados e muita história. Das ágoras gregas aos atuais espaços urbanos, o conceito de praça assume sentidos diferentes dependendo do lugar e época. Até meados do século XVIII, as praças europeias funcionavam como verdadeiras extensões paisagísticas dos grandes palácios. Esse conceito mudou no século seguinte a partir da intervenção de urbanistas que passaram a atribuir desenhos específicos para as praças como espaços livres. No Brasil o conceito de praça está mais associado à ideia de áreas verdes. De espaços apenas contemplativos, as praças tipicamente brasileiras vêm assumindo ares mais recreativos, com a instalação de uma série de equipamentos tais como playgrounds, academias, área para jogos etc.

Novos desafios

Mas a dinâmica social dos tempos de hoje colocam novos desafios para as nossas praças, sobretudo para aquelas praças localizadas próximas às comunidades pobres. Se de um lado o sistema de conservação revela-se ineficiente, resultando em praças com péssimo estado de manutenção, do outro a sua proximidade de áreas marginalizadas impõe uma releitura do papel dessas praças.

Proposta

A nossa proposta é restaurar o conceito de espaço verde e recreativo para, no momento seguinte, ampliar a sua função social agregando componentes educativos e estruturantes. Nesse sentido, o projeto Praça do Futuro é uma iniciativa que visa revitalizar praças que ficam próximas às comunidades e nelas realizar experiências educacionais associadas a uma plataforma de gestão do território da favela com foco no seu desenvolvimento sustentável.

Uma praça inteligente

Mais que uma praça bem cuidada, com um paisagismo bonito e equipamentos para recreação, a Praça do Futuro é um espaço orgânico, vivo, que dialoga com a população do seu entorno. A primeira Praça do Futuro está sendo implantada na favela do Canal das Tachas, popularmente conhecida como Terreirão, Recreio dos Bandeirantes, base de atuação da Onda Carioca.

Parcerias

Em parceria com a Prefeitura do Rio, adotamos a praça Eurico Alencastro Massot e montamos no local nossa base para iniciarmos o processo de revitalização do espaço. Toda inteligência comunicativa do projeto é desenvolvida pela agência nova/SB. A Paranoid também nos dá suporte para criação de desenhos 3D com as intervenções físicas do projeto.

Comments are closed.